Schevchuk: nossa consciência cristã nos chama a lutar contra o mal

0

“Dissemos muitas vezes que a guerra na Ucrânia tem uma dimensão espiritual. E não importa se vivemos na Ucrânia ou em diferentes partes do mundo, ou se somos ucranianos ou pertencemos a outras nações, ou se estamos no leste da Ucrânia ou no oeste. Todos nós temos um chamado como cristãos para lutar contra o mal. Ser cristão significa lutar contra o mal, principalmente em sua vida e em seu coração. Isto é o que o apóstolo Paulo nos diz em sua carta aos Efésios.”

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, hoje é quinta-feira, 30 de junho de 2022 e a nossa Pátria, o povo ucraniano, suporta já há 127 dias a grande invasão do exército russo, que entrou em terra ucraniana pela força da guerra.

Agradecemos ao Senhor Deus e às Forças Armadas da Ucrânia que vivemos até esta manhã e podemos ver a luz do dia e ser reconfortados por esta oportunidade de estar diante da face de Deus e aprofundar na Palavra de Deus.

 

Há combates pesados ​​ao longo das linhas de frente. As tropas se concentram e os combates mais intensos continuam ocorrendo na província de Luhansk, ao redor da cidade de Lysychansk, a maior cidade da província, atualmente sob o controle do exército ucraniano. O inimigo está bombardeando impiedosamente todas as regiões da Ucrânia nas quais ele pode se infiltrar com suas armas. Cidades e vilas estão sendo bombardeadas, especialmente nas regiões fronteiriças das províncias de Kharkiv, Sumy e Chernihiv. O chamado terrorismo de mísseis continua. Os russos destroem impiedosamente a infraestrutura agrícola, urbana e estatal com seus ataques de mísseis. Ainda ontem, um imenso armazém de grãos na província de Dnipropetrovsk foi destruído. Qualquer coisa que possa salvar a Ucrânia, especialmente durante o inverno, está sujeita à destruição. E os russos estão massacrando impiedosamente qualquer um que queira proteger sua pátria.

Mas a Ucrânia está de pé. A Ucrânia está rezando. Todos nós rezamos pelos nossos defensores, em particular pelos nossos combatentes, que sofreram a guerra de diferentes maneiras, e pensamos nos prisioneiros, nos feridos e nas famílias dos mortos. Mantemos em nossas orações nossos irmãos e irmãs em Kharkiv e Odessa, Dnipropetrovsk, Kryvyy Rih, Mykolaiv e outras cidades e vilas na Ucrânia, que agora estão sob o fogo impiedoso dos russos.

Nossa consciência cristã nos chama a lutar contra o mal. Dissemos muitas vezes que a guerra na Ucrânia tem uma dimensão espiritual. E não importa se vivemos na Ucrânia ou em diferentes partes do mundo, ou se somos ucranianos ou pertencemos a outras nações, ou se estamos no leste da Ucrânia ou no oeste. Todos nós temos um chamado como cristãos para lutar contra o mal. Ser cristão significa lutar contra o mal, principalmente em sua vida e em seu coração. Isto é o que o apóstolo Paulo nos diz em sua carta aos Efésios. Ele nos diz para sermos fortes no poder de Deus e em sua força. O apóstolo pede a cada cristão: “Revesti-vos da armadura de Deus para possais resistir às ciladas do demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso”. E então o apóstolo diz como fazê-lo e indica certos meios ou formas de batalha espiritual. Ele diz: “Ficai alerta, à cintura cingidos com a Verdade, o corpo vestido com a couraça da Justiça, e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. Sobretudo, embaçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomais enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus”.

E a batalha espiritual para a qual todo cristão é chamado tem suas próprias regras. Então, vamos nos aprofundar no que é essa batalha invisível, qual é sua dinâmica e quais são as regras da guerra espiritual. Os santos padres da Igreja, experientes combatentes do mal, contam-nos como se desenrola esta batalha espiritual e, em particular, São João Damasceno explica-nos que é possível distinguir cinco fases da luta do homem contra os maus pensamentos e contra este ataque do mal. Diz que a princípio um pensamento ruim nos vem como sugestão ou tentação e depois conversamos com ele; é aí que ocorre uma luta interior. Se cedemos a ele, entregamo-nos ao mal e produz-se o consentimento que dá origem ao pecado, arrastado pela paixão. Talvez em outras reflexões aprofundemos cada uma dessas etapas da luta espiritual, mas hoje todos devemos perceber que não podemos dizer: “Não quero lutar”. Porque significaria que já nos entregamos nas mãos do mal, nas mãos do espírito maligno, e que já estamos perdendo.

Hoje temos uma boa notícia: ontem, pela primeira vez desde o início desta agressão em larga escala, ocorreu uma grande troca de prisioneiros de guerra e a Ucrânia recuperou 144 defensores de nossa Pátria, dos quais 95 eram defensores da cidade-mártir Mariupol. E hoje agradecemos a Deus porque esses heróis, esses bravos homens, voltaram para lar. O mais velho tem 65 anos, o mais novo 19. Eles estão, em sua maioria, gravemente feridos e estão entre a vida e a morte e precisam de cuidados e tratamentos especiais. E este é um exemplo de que a força de Deus se manifesta mesmo em nossas fraquezas, como diz o apóstolo Paulo. A força está com aqueles que defendem a verdade e defendem a verdade divina, e assim fazem o bem.

Oh Deus, abençoe a Ucrânia. Oh Deus, abençoe os defensores da Ucrânia. Ó Deus, abençoa e dá força a todos os que lutam contra o mal e a todos os que esperam em ti, ó Senhor, forças para fazer o bem. Faça de todos nós benfeitores neste mundo pelo poder da graça do Espírito Santo.

Que a bênção do Senhor e sua misericórdia desçam sobre vocês por sua divina graça e amor e permaneçam agora e para todo o sempre, amém.

Louvado seja Jesus Cristo!

Svyatoslav+
Pai e Primaz da Igreja Greco-Católica Ucraniana
30.06.2022

Fonte

Escreva abaixo seu comentário.

Por favor escreva um comentário
Por favor insira o seu nome aqui